O SER HUMANO É INVENTOR E CONTADOR DE HISTÓRIAS PARA SE COMUNICAR

Querido(a) amigo e minha amiga Consagrado(a).

Desde o documento "Decreto" "INTER MIRIFICA" do Concílio Ecumênico Vaticano II, aprovado aos 4 de dezembro de 1963 a Igreja reconhece e celebra oficialmente a cada ano, no domingo que antecede o Pentecostes, Festa da Ascensão,  o "DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS." O primeiro Papa a celebrá-lo foi Paulo VI  e aconteceu no dia 7 de Maio de 1967.  Desde lá em cada ano o papa escreve uma mensagem para comemorar e reconhecer a importância dos MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL.

Para este ano, o Papa Francisco foi buscar inspiração no livro do Êxodo 10,2 e resumidamente dá o título: “PARA QUE POSSAS CONTAR E FIXAR NA MEMÓRIA” (EX 10, 2). "A VIDA FAZ-SE HISTÓRIA". 

No texto bíblico Deus manda Moisés ir diante do Faraó que terá o coração endurecido e não vai querer libertar os hebreus escravos no Egito e então Deus fará por meio de Moisés muitas maravilhas que se transformarão em HISTÓRIAS HEROICAS A SEREM DEPOIS CONTADAS DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO. Eis o texto: "Assim poderás contar, a teus filhos e aos filhos de teus filhos, como zombei dos egípcios e quantos sinais (grandiosos) fiz por meio deles. E sabereis que Eu sou o Senhor".

Na mensagem deste ano o papa Francisco lembra que o ser humano é essencialmente um inventor e contador de HISTÓRIAS, para contar-se a si mesmo e para contar sua relação com Deus, porque Deus é o primeiro CONTADOR DE HISTÓRIAS para demonstrar seu AMOR e revelar QUEM ELE É. Por isso Jesus é o melhor CONTADOR DE HISTÓRIAS  e os Evangelhos narram em forma de contar histórias quem fio jesus, o REVELADOR DE DEUS.

O Papa Francisco diz: "O homem é um ente narrador. Desde pequenos, temos fome de histórias, como a temos de alimento. Sejam elas em forma de fábula, romance, filme, canção, ou simples notícia, influenciam a nossa vida, mesmo sem termos consciência disso. Muitas vezes, decidimos aquilo que é justo ou errado com base nos personagens e histórias assimiladas. As narrativas marcam-nos, plasmam as nossas convicções e comportamentos, podem ajudar-nos a compreender e dizer quem somos".

Falando sobre narrar histórias, o Papa nos chama muita atenção para termos o maior cuidado com o PERIGO cada vez maior de sermos narradores, transmissores, multiplicadores e contadores de FALSAS HISTÓRIAS, as hoje famosas FAK NEWS. Elas estão presentes tanto nas Mídias e Meios de Comunicação, sejam em Redes Sociais, quanto nos meios de Comunicação de Massa, com Jornais, Revistas ou TV. Estas dividem, criam e transmitem ódio, injustiça e destroem aos invés de edificar, construir e dignificar.

O papa continua dizendo que "Necessitamos de coragem para rejeitar as falsas e depravadas narrativas e histórias. Precisamos de paciência e discernimento para descobrirmos histórias que nos ajudem a não perder o fio, no meio das inúmeras lacerações de hoje; histórias que tragam à luz a verdade daquilo que somos, mesmo na heroicidade oculta do dia a dia". 

Por fim, o Papa nos alerta que "A história de Cristo não é um patrimônio do passado; é a nossa história, sempre atual. MOSTRA-NOS QUE DEUS TOMOU A PEITO O HOMEM, A NOSSA CARNE, A NOSSA HISTÓRIA, A PONTO DE SE FAZER HOMEM, CARNE E HISTÓRIA. E diz-nos também que não existem histórias humanas insignificantes ou pequenas. DEPOIS QUE DEUS SE FEZ HISTÓRIA, TODA A HISTÓRIA HUMANA É, DE CERTO MODO, HISTÓRIA DIVINA. Na história de cada homem, o Pai revê a história do seu Filho descido à terra. Cada história humana tem uma dignidade incancelável. Por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura, àquela altura vertiginosa e fascinante a que Jesus a elevou". 

Para não prolongar em demais o meu texto, digo que quem desejar ver toda a mensagem do Papa, é só CLICAR AQUI:  \"Mensagem do Papa Francisco para o 54º dia das Comunicações Sociais\". 

Termino apelando para quem é pai; mãe, avô, avó ou responsável por crianças, QUE TIREM TODOS OS DIAS UM TEMPINHO PARA LHES CONTAR BOAS E EDIFICANTES HISTÓRIAS. A pessoa pode esquecer de quase tudo, mas NUNCA esquece as HISTÓRIAS que foram contadas enquanto éramos crianças.

Histórias podem e devem EDIFICAR, mas podem, infelizmente, também DESTRUIR. A escolha de de cada pessoa. Nós nos contamos quem somos, contando histórias e TRANSFORMANDO NOSSA VIDA EM HISTÓRIA.

+ Dom Guilherme Antonio Werlang

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas