Postulinter de Maio II: Antropologia bíblica da Vocação.


Nos dias 25 e 26 de maio aconteceu a quarta edição do Postulinter 2019, com o tema Antropologia bíblica da Vocação e teve como assessor o Padre Carlos Battistoni, da Ordem dos Filhos do Coração Imaculado de Maria. O local do encontro foi o Provincialado das Irmãs de São José de Chambery. Esta edição foi importante para que nós formandos tivéssemos uma ideia de como as Sagradas Escrituras revelam a descoberta da vocação do homem e sua relação com Deus e seus semelhantes.

Padre Carlos nos levou a refletir ao decorrer do encontro sobre muitas questões existenciais e sobre a escolha que fizemos para a vida religiosa. Os critérios de validação para as respostas das questões centrais foram pesquisados em diálogos bíblicos com o Criador, sejam eles diretos ou indiretos, e no chamado de alguns personagens bíblicos. Foi apresentado que Vocação não é um simples chamado, mas é um modo de existir e ser, um apelo de Deus que vem ao nosso encontro e vê algo que ninguém mais viu e por isso nos chama. 

Compreendemos que ao chamado cabe uma resposta livre e decidida, pois a ele também implica dificuldade. Isso exige que a pessoa chamada se conscientize de seus limites e busque tornar-se um novo homem e uma nova mulher.  A vocação não corresponde a realizações, mas a disposição do nosso coração em servir a Deus e estar em sintonia com Ele, não sendo mais autor referencial, mas sobretudo entendendo que a vocação está em uma dimensão divina e estamos diante de algo que é maior que nossa existência e que precisa ter Deus como centro. 

Nos relatos vocacionais dos personagens bíblicos apresentados, o assessor mostrou como Deus lembra que estará sempre com aqueles que Ele chama e essa deve ser nossa única esperança. Apesar de que por vezes não saberemos para onde ir, nos sentiremos incapazes, mas devemos estar firmes e nos entregar totalmente, deixando que Ele, nos conduza.
Também aprendemos que a vocação é um fato pessoal, mas não solitário. Não é buscada exclusivamente nas profundezas da interioridade individual, mas, particularmente, no diálogo com Deus e com as pessoas, pois precisamos do diferente para nos ajudar a entender o caminho.

A avaliação foi excelente, pois esses dias de encontro nos levaram a refletir de que Deus quer se mover em nós e através de nós. Ele intervém em nossa vida quando menos esperamos, pois o apelo que que Ele faz se dá quando a humanidade apresenta uma necessidade, assim ele conta conosco para poder ajudá-lo a salvar seu povo. Pois, quem dá o primeiro passo em direção ao ser humano é o próprio Deus que qualifica e determina cada pessoa humana como um ser único, amado por Ele. 

a partir de uma necessidade apresentada no nosso contexto histórico e vê em nós alguém que pode ajudá-lo, o fato de que a iniciativa, o primeiro passo em direção ao ser humano, proceda de Deus qualifica e determina cada pessoa humana com um ser único, amado por Deus.

 
 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas